Home » Matérias » Programa Selo Verde gera resultados positivos para meio ambiente

Programa Selo Verde gera resultados positivos para meio ambiente


Edição nº 98

8/06/2017

Por Tânia Mara

Quem usa ônibus no dia a dia ou os vê trafegando pelas ruas das cidades do Estado do Rio de Janeiro, já se habituou a ver, afixado no para-brisas dianteiro, um selo na cor verde, onde aparece a palavra “Aprovado”sobre um símbolo vermelho. O selo mostra o resultado final das várias etapas do Programa Selo Verde, que garante o controle do nível de poluentes emitidos pelos ônibus. O adesivo dá visibilidade aos frutos já colhidos pelo Programa, que não são poucos.

Foto: Miriam Fichtner

Com início em 1997, o então projeto piloto começou apenas no âmbito do Estado do Rio de Janeiro. Os resultados foram melhores que o esperado, aumentando, já no primeiro ano, em 9% o índice de ônibus dentro dos padrões. Com a solidificação do projeto e o aprimoramento dos procedimentos, este foi alçado a nível nacional e à categoria de programa. O Rio de Janeiro é, pois, pioneiro na adoção das medidas, que hoje se estendem também ao transporte de cargas.

 

Medidas simples e de grande alcance

Os procedimentos adotados para controle das emissões são simples, e começam pela orientação e acompanhamento do recebimento e armazenagem do combustível nas garagens de ônibus. Esse controle evita o consumo de combustível adulterado e problemas como o acúmulo de água nos tanques. Técnicos dos sindicatos filiados à Fetranspor, em laboratórios volantes montados em veículos, visitam periodicamente as empresas, fazem as verificações, apontam possíveis falhas no processo e orientam os responsáveis. Ensaios e avaliações dos carregamentos, checagem dos lacres e comparação dos valores observados com as especificações técnicas contidas na nota fiscal da compra garantem o recebimento adequado e o uso correto, para consumo de um combustível de boa qualidade. Além do benefício em termos de economia para as empresas, há o ganho para o meio ambiente.

Além disso, os técnicos procuram manter as empresas atentas para a constante e correta manutenção do motor, a fim de evitar a queima incompleta do óleo diesel, pois é ela que gera o material particulado conhecido por fumaça preta. Esses dois tipos de cuidado, aliados à orientação quanto à condução do veículo de forma econômica, são capazes de evitar toneladas de poluentes nos ares de nossas cidades.

Foto: Jorge dos Santos

 

Fetranspor e Inea

O papel socioambiental do Programa e seus resultados levaram à integração com as necessidades trazidas pelo Programa de Autocontrole de Fumaça Preta – Procon Fumaça Preta – criado pelo Inea (Instituto Estadual do Ambiente) para verificar o nível de conformidade ambiental da frota utilizada no transporte público no Estado.

Em 2007, foi firmado convênio entre a Fetranspor e o Inea, denominado Convênio Selo Verde. Assim, foi criado o selo que atesta que aquele veículo está aprovado no quesito emissão de poluentes. Essa medida provocou um maior envolvimento da sociedade e do poder público e aumentou a adesão das empresas de transporte ao programa, uma vez que tornou visível o resultado do esforço conjunto em
prol do meio ambiente.

 

84 mil avaliações

Os números do Programa impressionam. Só no ano passado, houve mais de 84 mil avaliações, com apenas 2% de reprovação. O engenheiro Guilherme Wilson, gerente de Planejamento e Controle da Fetranspor, compara os efeitos do Selo Verde no setor de transporte de passageiros do Estado do Rio de Janeiro ao da certificação das normas ISO, como fator de permanência no mercado: “a medição constante dos níveis de opacidade permite a identificação de quaisquer desconformidades relacionadas ao mau estado de conservação de veículos do ciclo diesel. A correção dessas desconformidades leva a uma redução importante na emissão de fumaça preta, trazendo ganhos ao meio ambiente e economia para as empresas. Nos momentos de crise em que vivemos, este é um fator crucial para a sua sobrevivência”, afirma.

Guilherme ressalta também a importância de se ter alcançado média de aprovação dos ônibus nos últimos cinco anos, de 98%. “Nossa meta é chegar aos 100%. O cuidado com o meio ambiente é uma tendência e uma necessidade mundial, e podemos nos orgulhar, não só de sermos pioneiros neste tipo de programa, mas de termos
feito a diferença, com os resultados alcançados”.

A diferença a que Wilson se refere vem sendo reconhecida pela sociedade. O Programa Ambiental Fetanspor, de que o Selo Verde faz parte, já ganhou os seguintes prêmios: Prêmio Época de Sustentabilidade (2008) – PAF (Programa Ambiental Fetranspor); 4º Prêmio Brasil de Meio Ambiente – JB (2009) – Selo Verde; Top Social – ADBV (2010) – Selo Verde; 5º Prêmio Brasil de Meio Ambiente – JB (2010) – Economizar; 7º Prêmio Brasil Ambiental – AMCHAM (2011) – Biodiesel B20; Bienal ANTP de Marketing (2012) – Centro de Serviços Ambientais; e Prêmio Firjan
Ação Ambiental 2015 – Selo Verde – Programa Economizar.

Arte: Fetranspor

©Copyright Fetranspor 2017 | Todos os direitos reservados.