Aplicativos: Eles fazem quase tudo

01/10/2019 | Edição nº 107

É difícil acreditar que, em pouco mais de 10 anos, o mercado de aplicativos móveis cresceu de maneira tão intensa. Essa evolução se deu com o boom dos smartphones. Quando começaram a ser lançados os primeiros aplicativos, em 2007 (ano do lançamento do primeiro iPhone, da Apple), não se podia imaginar que, em tão pouco tempo, o mundo seria transformado por essas ferramentas e que elas se tornariam praticamente indispensáveis no dia a dia das pessoas.

Aplicativo é uma tradução, da língua inglesa, da palavra application, cuja abreviação é app e pode ser definido como um software (ou programa) para aparelhos móveis, como smartphones e tablets. O objetivo dos aplicativos é oferecer mais praticidade e agilidade no dia a dia

das pessoas, facilitando a realização de tarefas, a partir de qualquer lugar. Eles proporcionam aos usuários: otimização da navegação; agilidade das ações; menor custo de acesso; melhor aproveitamento possível do aparelho, graças à exploração de recursos como GPS, câmera fotográfica e Bluetooth; e tudo isso, muitas vezes, mesmo sem internet.

Várias necessidades e finalidades

A princípio, os aplicativos eram ferramentas que incluíam apenas correio eletrônico, calendário, contatos, mercado de ações e informações meteorológicas. Mas, com o aperfeiçoamento dos smartphones, eles passaram a abranger as mais diversas áreas e tornaram-se praticamente indispensáveis na vida dos usuários. Hoje, existem aplicativos para todos os tipos de interesses, necessidades e finalidades, como: fazer transação bancária, ler jornal e livros, editar e publicar fotos e vídeos, jogar, encomendar comida, solicitar transporte, reservar e comprar pacotes de viagem, alugar carros, fazer compras, ouvir música, assistir a vídeos, acompanhar questões de saúde e atividades físicas, ler e responder e-mails, manter conversas online por texto, vídeo ou voz, controlar agenda de compromissos. Enfim, vivemos no mundo dos apps.

Alguns aplicativos costumam vir instalados nos smartphones diretamente da fábrica, mas há uma infinidade deles para serem baixados das lojas online disponíveis, como App Store, Google Play (Play Store) ou Windows Phone Store. O número e a diversidade de aplicativos disponíveis variam de acordo com os modelos de smartphone e os sistemas operacionais disponíveis, como iOS, Android e Windows Phone. Existem alguns aplicativos comercializados gratuitamente e outros, a preços que variam de acordo com o sistema operacional. Hoje, 70% dos smartphones no mundo são Android e cerca de 25% são iPhone. No Brasil, são 85% Android e 12% iOS. Estima-se que haja mais de três bilhões de smartphones no mundo. Um mercado e tanto para cada vez mais aplicativos.

Foto: Depositphotos.com

Os mais baixados e os mais lançados

O Facebook Messenger foi o aplicativo mais baixado de 2018 em dispositivos com Android e iOS, de acordo com pesquisa feita pela App Annie, empresa de análise do mercado mobile. Logo em seguida estão o Facebook e o WhatsApp. Esses três apps pertencem ao mesmo grupo empresarial, liderado por Mark Zuckerberg. Também compõe o Top 5 o TikTok, app de vídeos curtos que virou fenômeno no mundo, com 130 milhões de usuários, e desbancou redes sociais famosas — no ranking, ele aparece em 4° lugar, à frente do Instagram. As informações do levantamento foram extraídas de dados registrados até o dia 15 de dezembro do ano passado. Já no primeiro trimestre de 2019, o WhatsApp foi o campeão de down loads, de acordo com a consultoria SensorTower. Dados destacam que 2018 acumulou 194 bilhões de downloads de aplicativos na App Store e na Play Store. Por ser uma plataforma mais acessível, a Play Store tem o dobro de apps da App Store: são 3,2 milhões contra 1,6 milhão.

O mercado se expande cada vez mais e todos os dias são lançados novos aplicativos. Ainda segundo a App Annie, o brasileiro gasta, em média, mais de três horas por dia utilizando aplicativos em aparelhos celulares. Não é de se estranhar, já que o Brasil é o quinto no ranking de países que mais usam smartphones. Dados divulgados pela AppsFlyer informam que o ano passado foi marcado pela consolidação do marketing digital no Brasil. Sobre as tendências, especialistas apostam no aumento da aplicação em formato de vídeos, maior uso da inteligência artificial e rigor na segurança, com criptografia no lugar de login e senha.

Transporte público e ônibus

No caso do transporte público, há uma gama de aplicativos que vem ganhando mercado a cada dia. Alguns trazem informações sobre o sistema de transporte de várias cidades do Brasil, não só das capitais ou grandes metrópoles. Além de mostrar a localização dos ônibus em tempo real, eles guardam dados valiosos sobre itinerários, horários de partida e localização dos pontos. Muitos até emitem alertas sobre atrasos na linha, greves e manifestações. Uma das opções na cidade do Rio de Janeiro é o “Vá de Ônibus”, que calcula rotas, localiza os pontos mais próximos, consulta itinerários e acompanha a localização dos ônibus em tempo real. O “Moovit” também é uma ótima alternativa e funciona em várias cidades do Brasil, mostrando informações sobre linhas de ônibus, metrô, trem e até barcas e teleféricos, seus horários e itinerários. O “CittaMobi”, além de permitir o acompanhamento em tempo real do trajeto dos ônibus e informar em quantos minutos os coletivos estarão no ponto de embarque, permite consultar itinerários e buscar por veículos adaptados para cadeirantes. Ele está disponível em 12 cidades brasileiras: Colatina (ES), Diadema (SP), Juiz de Fora (MG), Maceió (AL), Recife (PE), Rio Branco (AC), Rio Grande (RS), São Caetano do Sul (SP), Santo André (SP), Santa Rita (PB) e Volta Redonda (RJ). Há também o “Cadê o ônibus?”, que atende as cidades de São Paulo e Região (SPTrans e EMTU); Teresina (STrans); Rio de Janeiro (Capital) e Curitiba. São Paulo conta ainda com o “Urbanoide” e o “Citymapper”, além do “Trafi”, disponível também para o Rio de Janeiro.

Algumas empresas de ônibus dispõem de aplicativos próprios para comunicação com os clientes, com variadas funcionalidades. Entre as que contam com apps atualmente estão: Cascatinha, Salineira, Novacap, Petro Ita, Grupo Ponte Coberta (Gardel Turismo, Nossa Senhora da Glória e Ponte Coberta) e Grupo Mauá (ABC, Alcântara, Icaraí e Mauá). Já as empresas Rio Ita, Fagundes, Rio Minho, Expresso Rio de Janeiro, Tanguaense e Expresso Tanguá estão com toda a frota sendo monitorada através do aplicativo “CittaMobi”. Ao todo, 1.070 ônibus dessas empresas, que percorrem mais de 100 linhas, podem ser consultados no app, que é gratuito e está disponível na versão mobile para aparelhos com sistema operacional Android e iOS. Há também empresas que investiram em aplicativos voltados para seus colaboradores, como a SIT Macaé e a Auto Viação Vera Cruz.

Comente aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *