BUI diminui seu alcance com aumento da tarifa máxima e limite de renda

18/05/2020 | Edição nº 109

O Bilhete Único Intermunicipal – BUI – é um benefício social aplicado nas tarifas de transporte público e concedido pelo go- verno do estado do Rio de Janeiro diretamente aos cidadãos cadastrados. Criado em fevereiro de 2010, o BUI representou, de imediato, um aumento significativo no número de usuários dos transportes públicos no Estado. Nos seus dois primeiros meses, já haviam se cadastrado mais de 1,5 milhão de pessoas , e no primeiro ano foram realizadas mais de 200 milhões de viagens (gráf. 1).

Arte: Fetranspor

No seu segundo ano (2011) o BUI foi case vence- dor da Regional da América Latina do PTx2 Awards (Prêmio Transporte Público vezes 2) da União Inter- nacional de Transporte Público – UITP, na categoria
“Introdução a Novas Políticas Públicas”.

O BUI possibilitou a racionalização do sistema de transportes e promoveu a integração tarifária e a inclusão social, levando à ampliação da mobilidade urbana, devido à redução do custo e à integração de viagens entre to- dos os seis principais modais de transporte público. O passageiro cadastra- do no programa BUI pode utilizar até dois desses meios de transporte (gráf. 2), um deles obrigatoriamente inter- municipal, no período de três horas, pagando o valor máximo de R$ 8,55.

Arte: Fetranspor

Tendo seu auge de utilização no ano de 2015, quando atendeu um to- tal de 495 milhões de passageiros, o BUI diminuiu significativamente o seu impacto social a partir da fixação, em dezembro de 2016, de um limite de renda para a utilização do benefício (gráf. 3) e a majoração de 35,59% no valor da tarifa máxima (gráf. 4). O que também se refletiu na diminuição dos subsídios concedidos (gráf. 5).

Arte: Fetranspor

O modal mais utilizado sempre foi o ônibus, que acumulou um total de dois bilhões e meio de passageiros até dezembro de 2019, segui- do pela utilização de trens, com 336 milhões de passageiros no mesmo período (gráf. 6).

Arte: Fetranspor

A totalidade dos dados referentes às transações eletrônicas asso- ciadas ao BUI é encaminhada ao Estado por meio do Proderj, diariamente de forma eletrônica, por uma rede de dados exclusiva. Além disso, está à disposição da Secretaria de Estado de Transportes um sistema que permite acessá-los em tempo real, permitindo a sua fiscalização. E os usuários têm à disposição um resumo diário na página.

Comente aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *