Executivos debatem projetos antifraude durante o 17º Etransport

06/12/2016 | Edição Especial 17º Etransport

O painel “Soluções antifraude aplicadas à bilhetagem” foi mediado pela gerente de produto da RioCard Cartões, Renata Faria, que destacou a relevância do tema diante das discussões sobre uso indevido de dinheiro público. Carlos Silveira, diretor executivo da RioCard TI, abriu a discussão apresentando o novo projeto antifraude da Fetranspor, que envolve o uso de inteligência artificial e identificação biométrica. Segundo ele, sempre houve regras para a utilização de subsídios e benefícios nas passagens, mas pressupunham a boa-fé dos usuários e vinham sendo desrespeitadas: “Por isso, procuramos novas tecnologias para tornar possível a identificação do usuário titular”, explicou.

Foto: Arthur Moura

A nova estratégia consiste na captura de imagens do usuário no momento da aproximação do cartão no validador, seguida de uma comparação com a base de identificação civil do Detran. Em caso de inconsistência, haverá uma equipe de especialistas para a verificação humana dos dados. Se a fraude for confirmada, o usuário poderá perder o benefício e sofrer sanções criminais. Marcio Barbosa, superintendente do Setrerj (Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro),ratificou a importância destes métodos: “É uma necessidade, uma solução que evidencia a fraude. Não queremos cercear o direito ao uso do transporte coletivo, queremos dar o benefício a quem a ele tem direito”.

Sergio Queiroz, gerente de Sistemas da Digicon; Marcionílio Sobrinho, gerente de Serviços da Empresa 1; e Carlos Humberto, superintendente da Prodata do Rio de Janeiro, foram os demais participantes da mesa e falaram sobre suas experiências com as estratégias antifraude na bilhetagem. Durante a rodada de perguntas do público, Silveira lembrou que a tarifa dos transportes é calculada considerando também a incidência de fraudes, e que um controle mais efetivo sobre os benefícios pode contribuir para suavizar o preço da passagem.

Comente aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *