Miguel quer seguir os passos do pai e ser motorista de ônibus

02/06/2021 |

O menino ganhou da mãe um uniforme de rodoviário sob medida

É comum os filhos se espelharem nos pais, não apenas nos comportamentos e atitudes, mas em suas escolhas profissionais. Muitos, ao se tornarem adultos, seguem os passos do pai ou da mãe na hora de optarem por uma carreira, fazendo valer a máxima do velho ditado: “filho de peixe, peixinho é”. Isso se dá em função do contexto em que as crianças crescem e da forma como os pais se mostram orgulhosos de seus trabalhos. Miguel Luiz do Nascimento e Souza, de seis anos, é uma dessas crianças. Ele já prometeu que quando crescer vai ser motorista de ônibus, como o pai, Rafael da Silva Souza, 41 anos, há seis na Empresa de Transportes Flores. A admiração do pequeno pela profissão foi o estopim para uma outra paixão: o ônibus.

A mãe de Miguel, a corretora de imóveis Luciana Rodrigues do Nascimento e Souza, 39 anos, conta que o interesse do menino pela profissão de motorista e pelo ônibus começou quando ele tinha dois anos. “A gente sempre ia levar um lanche pro Rafael no ponto final e aproveitava para fazer companhia pra ele durante uma viagem, no trajeto Roncalli – Nova Iguaçu. Como ele trabalhava de noite, o ônibus normalmente estava mais vazio e dava pra sentar no banco que fica atrás do motorista. Íamos eu, Miguel e meu filho mais velho, Luiz Fernando (13 anos). Foi nessa época que começou a fascinação do Miguel, principalmente o sonho de dirigir ônibus. Quando a gente parava no ponto final, ele aproveitava pra sentar no banco do motorista e mexia em tudo. Por incrível que pareça, ele até aprendeu a passar a marcha”, conta.

ANIVERSÁRIO TEMÁTICO
Os passeios no ônibus do pai, interrompidos no último ano devido à pandemia da Covid-19, eram uma forma da família se fazer mais presente no dia a dia de Rafael e desfrutar mais tempo junta. Em datas como Natal e Ano Novo, se Rafael estivesse trabalhando, todos se arrumavam para comemorar dentro do ônibus, entre uma viagem e outra. “Sempre fomos muito unidos e procuramos estar o máximo de tempo juntos”, diz Luciana. Com as visitas constantes ao pai, no ponto final da linha Roncalli, Miguel se tornou uma espécie de mascote dos rodoviários daquele local. “Como ele é muito falante, fez amizade com todos os motoristas, todos os colegas do Rafael”, revela a mãe.

A paixão do menino contagiou Luciana, que resolveu fazer uma surpresa para o filho, no seu aniversário de quatro anos, em janeiro de 2019. A festa teve como tema o profissional rodoviário e a empresa Flores, onde o pai trabalha. “Foi uma maneira de homenagear o Rafael também, que é outro apaixonado por ônibus desde pequeno”, revela Luciana. A corretora de imóveis lembra que enviou e-mail para a empresa pedindo autorização para uso de imagem. “Eles falaram que não tinha problema, mas pediram para eu mandar fotos da festa”, revela.

“Ele sabe mexer em tudo do painel. Sabe como abrir as portas, como ligar o ônibus, onde acendem as luzes, como liberar a roleta, tudo” Luciana Rodrigues do Nascimento e Souza, mãe de Miguel

Antes da comemoração, porém, Luciana preparou outra surpresa para o filho. “Peguei um uniforme do Rafael e adaptei para o tamanho do Miguel. Transformei num modelo infantil”, conta. Depois, arrumou o menino e o levou até o ponto da linha onde o pai trabalha. Lá, com ele vestido de motorista, Luciana produziu várias fotos, que usaria na decoração da festa. “Quando chegamos, todo mundo ficou olhando. Um dos colegas do pai dele emprestou o crachá e o deixou entrar no ônibus para fazer as fotos. Foi muito engraçado. Chamou a atenção até das pessoas nos bares em volta”, conta Luciana. No dia da festa, ela preparou tudo escondido. “Quando ele chegou e se deparou com aquilo, ficou radiante, se sentiu o próprio motorista, o artista principal. O pai também usou o uniforme de trabalho durante a festa e o irmão vestiu uma camisa com a marca da Flores. Coloquei uns cones, as fotos, ficou muito legal e ele ficou muito feliz”, lembra.

VISITA À EMPRESA FLORES
Pouco tempo depois da festa, a empresa Flores convidou a família para uma visita à garagem, em São João de Meriti. “A gente já tinha participado do programa de visitas, o Portas Abertas, que leva parentes de funcionários para conhecer o local de trabalho do pai, da mãe… Mas, quando eu fiz a festa dele e eles tiveram conhecimento, chamaram a gente para uma visita exclusiva, que foi em 2019, antes da pandemia”. Foi um dia especial para o Miguel, que, ao lado da mãe, do pai e do irmão, conheceu vários setores da empresa, como o local de abastecimento e a oficina, viu um veículo suspenso, andou num ônibus de um lado a outro da garagem, almoçou com os funcionários e ainda ganhou brindes. “Ele ficou maravilhado, encantado com tudo”.

Entre os brindes que ganhou da Flores, tem um travesseiro com o qual ele sempre dorme. O menino possui também uma miniatura de ônibus da empresa. Segundo Luciana, Miguel gosta muito de assistir a vídeos no Youtube e costuma procurar os que falam sobre ônibus, carros e astronomia. O painel do ônibus é a parte que desperta maior interesse do pequeno. “Ele sabe mexer em tudo do painel. Sabe como abrir as portas, como ligar o ônibus, onde acendem as luzes, como liberar a roleta, tudo”. Luciana conta que Miguel agora está numa nova fase, com outras opções profissionais para “quando crescer”. Além de motorista de ônibus, quer dirigir trator e foguete, como astronauta. Mas, a vontade de seguir os passos do pai sempre fala mais alto. “Tem um vídeo que ele gravou para o Dia dos Pais, em que ele está até vestido com o uniforme do Rafael, só que no tamanho grande mesmo, onde ele fala que queria ser motorista igual ao papai”, revela Luciana. E completa: “o pai é um exemplo para ele. Os dois sempre foram muito ligados um ao outro”. Será que o futuro de Miguel será mesmo o de “filho de peixe, peixinho é”?

Comente aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *