Ônibus 100% elétricos ganham o mundo

30/05/2019 | Edição nº 105

No dia 18 de janeiro passado, a BYD, empresa chinesa de novas energias, anunciou a produção de seu 50.000º ônibus 100% elétrico (mais recentemente, a empresa já bateu a marca dos 55 mil ônibus produzidos). O feito foi alcançado nove anos após o início de sua linha de produção. O veículo, um BYD K9UB, de 12 metros, com capacidade para 80 passageiros e um estilo totalmente novo, foi enviado de Hangzhou, na China, para Badajoz, na Espanha, e será operado pela Tubasa, concessionária de ônibus urbanos do Grupo Ruiz, um dos principais grupos espanhóis de transportes rodoviários de passageiros.

A BYD entrou para o setor de ônibus elétricos espanhol em 2017, quando venceu concorrência para entrega de um veículo de 12 metros para a operadora EMT, em Valencia. Em 2018, assinou com a Tugsal, do município de Badalona, na província de Barcelona, na Catalunha, um contrato para a entrega de oito ônibus. “A BYD estabeleceu um ‘padrão ouro’ para o mercado de ônibus 100% elétricos, devido à qualidade de seu produto, à cadeia de fornecimento e soluções de produtos completos e às tecnologias de ponta das baterias, motores, controles eletrônicos, etc. Isso é um avanço para a indústria de veículos elétricos não apenas da China, mas de todo o mundo”, disse Wang Chuanfu, presidente da empresa.

 

Foto: Divulgação

 

Desde a produção do primeiro BYD K9, em 2010, na cidade de Changsha, a empresa tem defendido ativamente a adoção de veículos de energia limpa. Naquele ano, para reduzir a poluição ambiental, propôs sua “Estratégia de Eletrificação do Transporte Público”. O ano de 2011 foi decisivo para a fabricante, já que durante a 26ª FISU (Summer Universiade), em Shenzhen, 200 veículos BYD K9 100% elétricos entraram em operação na cidade. Hoje, os ônibus elétricos da BYD não são comuns apenas nas grandes cidades chinesas, como Pequim, Guangzhou, Shenzhen, entre outras, mas em cidades de médio e pequeno porte do país. Além disso, desde que o primeiro lote de 35 veículos foi exportado para o aeroporto Schiphol, de Amsterdã, em 2013, a base de clientes internacionais para este modelo de ônibus tem crescido gradualmente. Entre eles estão: a Transport for London, a Los Angeles Public Transport Co., o aeroporto de Sidney, a universidade de Stanford e o Facebook.

 

Fábrica no Brasil

Com um complexo industrial funcionando em Campinas, São Paulo, com capacidade de produção de 720 chassis por ano, a BYD já oferece a tecnologia como solução de transporte para várias cidades brasileiras. De acordo com Adalberto Maluf, diretor de Marketing, Sustentabilidade e Novos Negócios da BYD, o ano de 2018 foi de consolidação. “Estávamos ainda com o desenvolvimento das carrocerias nacionais em fase de homologação, tanto da Caio como da Marcopolo. Para os projetos começarem a ganhar visibilidade, nossa meta era colocar o veículo em pelo menos cinco cidades; conseguimos vender em oito. Agora, estamos correndo para entregar, junto com as encarroçadoras, todos esses projetos, incluindo os de Campinas e São Paulo. Já foram entregues para Brasília, Bauru e Santos. No estado do Rio, entregamos em Volta Redonda. Com isso, chegamos a cerca de 50 ônibus em operação, o que estava dentro do nosso planejamento para esses primeiros anos da fábrica”.

Para 2019, Maluf informa que a meta é bem mais ambiciosa: 150 ônibus vendidos para, pelo menos, de 12 a 15 cidades. “A partir de agora, com a homologação da Marcopolo, no final do ano, e a da Caio, que deve sair em breve, começamos a ter uma postura comercial mais agressiva. Inicialmente, estávamos focados em mercados mais próximos da gente e onde existe algum tipo de incentivo, como a Lei do Clima, de São Paulo, que obriga o operador a reduzir 10% das suas emissões a cada ano. Santo André e São Bernardo também estão exigindo metas de renováveis. A própria cidade de Campinas deve colocar uma meta de óleo de baixa emissão na nova legislação. Então, acreditamos que 2019 vai ser o ano de entregar esses projetos”, afirma.

Comente aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *